A trilha sonora da massagem

Sons de cachoeira, fontes de água e ondas do mar são comuns em cds de músicas relaxantes e new age usados em sessões de massagem.

Dos elementos que fazem parte de um atendimento que vise mais o relaxamento, um dos mais famosos é a trilha sonora igualmente relaxante. Quais são os tipos mais comuns? Serão sempre os mesmos? E mais: isso é realmente necessário para uma boa sessão de massagem?

Normalmente, o tipo mais comum de música executada durante uma sessão de massagem é aquele que remete à natureza. Pode ser canto de passarinhos, baleias ou golfinhos; som de cachoeiras, rios e ondas; o barulho do vento…Mas também pode ser simplesmente uma música instrumental com um ritmo que induza ao relaxamento. Os instrumentos podem ser piano, flauta (bastante comum), cítaras, violão, entre outros. Muitas pessoas pensam logo em algo como Enya ao serem questionadas sobre música relaxante, porém, músicas cantadas, ainda que de um tom como o de Enya, não costumam ser uma opção. Não que nunca sejam utilizadas. Apenas não são as mais populares. Por quê? Acredito, e isto é somente uma opinião, que a voz, de alguma maneira, interfira na “concentração” em relaxar. A voz parece prender você ali, no que está acontecendo, impedindo uma entrega maior (embora esse não seja o único fator a interferir na entrega da pessoa. Em outro post abordaremos essa questão). Há técnicas, contudo, que pedem determinados tipos de música (como parte do próprio ambiente a ser criado), inclusive as cantadas.

Entre essas técnicas que pedem uma música mais ritmada e cantada está a massagem havaiana. As músicas desse tipo de sessão costumam ser hulas, que,  na verdade, podem ser cantadas ou não. A necessidade de executar música em uma sessão de havaiana está diretamente relacionada aos tipos de manobras realizadas pelo massagista, que devem lembrar movimentos de onda sobre o corpo do cliente. O ritmo da música faz com que o massagista mantenha seu corpo no ritmo certo e, portanto, executando as manobras da forma correta.

Mas e se você não quiser nenhum tipo de música? Bem, sempre digo que antes de marcar uma sessão de uma técnica de massagem desconhecida, é importante conhecer um pouco sobre ela. Se você prefere o silêncio e percebe que para uma determinada técnica a música é importante, sugiro que busque outro tipo de atendimento. E no caso da música ser dispensável, simplesmente explique ao massagista que você prefere ficar em silêncio.

SHIATSU

Acupressões ao longo dos canais energéticos é a característica marcante do shiatsu.

Técnica terapêutica originária do Japão. Ao longo do tempo, e devido ao contato com outras culturas, adquiriu outros ramos e estilos (como zen shiatsu).

Não utiliza óleo ou creme. As manobras são realizadas basicamente com pressões dos dedos, de onde surge o nome da técnica (“shi”=dedos, “atsu”=pressão).

O princípio da técnica e de sua avaliação está fundamentado na MTC (Medicina Tradicional Chinesa). As manobras são executadas seguindo o trajeto dos canais energéticos no corpo.

Entre as indicações para shiatsu estão:

  1. Lombalgias e cervicalgias;
  2. Cefaleias;
  3. Disfunções digestivas;
  4. Insônia;
  5. Circulação sanguínea;
  6. Problemas relacionados a menstruação;
  7. Disfunções sexuais, etc.

Algumas contraindicações:

  1. Doenças infecto-contagiosas;
  2. Doenças de base lesional;
  3. Queimaduras e ulcerações;
  4. Vasculites;
  5. Osteoporose;
  6. Doenças cardiovasculares agudas;
  7. Câncer sem tratamento;
  8. Fraturas, etc.

Tempo médio de uma sessão completa: 1 hora (sem avaliação)

Tipo de shiatsu com que trabalhamos: Koho Shiatsu (tem como base acupuntura e Do-in).

“Só” os músculos?

Uma dor muscular prolongada pode ser o princípio de toda uma cadeia de dores, como crises de enxaqueca.

Se por um lado há quem ache que massagem serve apenas para relaxamento, por outro há quem ache que serve “apenas” para tratar dores musculares. Com uma massagem é possível tratar muitas coisas, porém, ainda que se restringisse aos músculos, será que seria tão pouca coisa assim?

No começo deste ano, precisei ir à emergência clínica de um hospital próximo a onde morava para tratar uma enxaqueca que não me largava há dois dias, 24 horas. Era um pesadelo. Não conseguia trabalhar, dormir nem nada, tamanha era a dor. E não bastasse sentir a cabeça latejando, tinha náusea e nenhum apetite para comer. No hospital, a prescrição era sempre a mesma, dipirona na veia. Pelo tempo que a medicação era aplicada e alguns instantes (sim, instantes) depois, a dor parecia estar amenizada. Mas logo ela retornava com força total. Foi então que, ao fazer um movimento com a cabeça, me dei conta de algo muito importante e que até então vinha menosprezando: a musculatura cervical estava retesada. E isso já estava dessa maneira há dias. Mas não prestei a devida atenção porque a dor não era muito forte; era “apenas” um incômodo. No momento em que liguei uma coisa à outra, confesso que senti vergonha de mim mesma por não ter feito essa associação antes. Assim, para confirmar minha hipótese, apliquei uma bolsa de água quente na região e deixei-a em posição até que ficasse morna. Ao retirar a bolsa e mover o pescoço, a “mágica” estava feita e minha teoria confirmada; o pescoço se movia melhor e a enxaqueca havia diminuído.

Sinceramente, apenas quem nunca sentiu dores musculares importantes pode falar do alívio dessas dores como algo menor. É necessário lembrar que tudo em nosso corpo está ligado. Não somos bonequinhos de Lego com peças encaixadas. Quando há acúmulo de alguma coisa em alguma região que não é tratado ou amenizado, logo ele começa a se irradiar para outras partes e a situação pode ficar bem feia (vide o caso pessoal descrito acima).

Em vista de a rotina da grande maioria das pessoas das cidades grandes ser marcada por dores musculares, essas dores passaram a ser vistas apenas como “mosquinhas incômodas” que vira e mexe aparecem para perturbar. As opções são quase sempre ignorá-las (afinal, você já convive com elas há muito tempo mesmo) ou entupir-se de relaxantes musculares. Uma atitude de verdade só é tomada quando a coisa fica séria. E mesmo assim, por estar tão acostumado à sua dor, você pode acabar fazendo como fiz, tomando vários remédios para os efeitos colaterais da retensão muscular, sem nunca tratar a fonte de verdade e, portanto, sem nunca melhorar. E acredite, nem mesmo todos os médicos vão associar suas queixas a uma dor muscular.

No caso citado no começo deste post, as aplicações de calor foram suficientes, pois a retenção não era muito grande (mas curiosamente sua irradiação era). Há outros casos, contudo, para os quais as aplicações de calor seriam o complemento de algo mais, como um tratamento de massagem. Dependendo do problema, você pode precisar de medicamentos alopáticos (essa hipótese nunca é descartada), mas levando em consideração as pessoas de meu contato e convívio, percebo que a origem de grande parte das dores é postural. Trabalhando em escritório, você até tenta manter-se em uma postura correta, mas dificilmente consegue manter-se nessa postura o dia inteiro. Quando percebe (se é que percebe) está caído para um lado forçando uma escoliose, pernas cruzadas ou posicionadas para trás interferindo na circulação ou com o pescoço projetado para frente gerando uma lordose cervical. Tudo isso, se não for cuidado, com o tempo gera a famosa LER (Lesão por Esforço Repetitivo).

Enquanto você estiver trabalhando na mesma postura e executando o mesmo trabalho, estará constantemente sujeito a desenvolver uma LER. A questão é que após determinado tempo, não há medicamento que o ajudará. O dano torna-se irreversível e talvez seja preciso que você até mesmo peça demissão.

Dores musculares não são brincadeira; não são coisas menores. E com sessões da técnica adequada de massagem, você pode trabalhar para amenizar essas dores de modo menos agressivo a seu organismo e mais direcionado ao local da dor e ainda se beneficiar dos demais efeitos da sessão.

NOVIDADES

CANDLE MASSAGE

Técnica proveniente dos Estados Unidos ainda pouco conhecida e divulgada no Brasil.

A aplicação é realizada com manobras de massagem relaxante e parafina cosmética combinada a óleos essenciais.

A parafina é aquecida e usada a uma temperatura de 38 a 39 graus (sem queimar a pele), sendo particularmente agradável em climas mais frios.

Entre os benefícios estão:

– relaxamento;

– hidratação;

– problemas de sono;

– estímulo da circulação sanguínea;

– nutrição da pele.

Não há contraindicações.

A duração média de uma sessão é 1 hora.

Locais de atendimento

TRIANON-MASP

Espaço Saúde Legal

Av. Paulista, 1159 /conj. 1206

Horário para atendimento:  segunda a sexta 08h – 20h  ou sábado 08h – 16h

(é possível marcar em outros horários conforme necessidade)

Atendimentos disponíveis neste local:  massagem antiestresse, massagem sueca, massagem aromaterapêutica, abhyanga, acupuntura estética facial, massagem havaiana, massagem balinesa, reiki, candle massage e reflexologia.

 

SAÚDE

clinica-menor-para-site

 

Clínica Vida Total

Rua dos Jacintos, 108 (próximo aos metrôs Praça da Árvore e Santa Cruz)

Horário para atendimento: segunda-feira a sábado, 08h às 20h

Atendimentos disponíveis neste local: massagem aromaterapêutica, massagem balinesa, massagem sueca, abhyanga, candle massage, massagem antiestresse, reflexologia, quick massage e acupuntura estética facial.

PINHEIROS

Bergqvist – Massagem e Treinamento


Rua Francisco Leitão, 469 (15 min. do metrô Clínicas)

Horário para atendimento: segunda a sexta-feira, 09 às 18h.

Atendimentos disponíveis neste local: massagem sueca, massagem balinesa, abhyanga, reflexologia, massagem antiestresse, massagem aromaterapêutica (aromaterapia).

ATENDIMENTOS

SERVIÇOS OFERECIDOS DE TERAPIA E MASSAGEM

Shiatsu

Acupuntura estética facial

Reflexologia

Massagem antiestresse

Massagem sueca (relaxamento ou terapêutica)

Massagem aromaterapêutica

Massagem havaiana

Massagem balinesa

Candle massage (massagem com vela quente)

Abhyanga

Udwartana

Garshana

Reiki

Shiatsu express

Quick massage tailandesa



TÉCNICAS USADAS COMO COMPLEMENTOS

Stiper (acupuntura sem agulhas)

Auriculoterapia

Moxabustão

Ventosas