Quem é seu massagista?

Muitos terapeutas e massagistas têm uma formação que vai além dos cursos específicos de massagem.

Há quase 10 anos, estava no último ano da graduação de Letras. Fazia habilitação em tradução do inglês. Aprendi muitas coisas e meu português e inglês melhoraram drasticamente. No entanto, posteriormente, o trabalho diário em escritório foi me cansando e o estresse gerado por esse cansaço começou a se manifestar como sintomas físicos, como dores de cabeça e crises de gastrite nervosa.  Meu corpo dizia cada vez mais para que eu parasse, mas ainda assim persistia na rotina de permanecer sentada, às vezes, 9 horas por dia engolindo muito estresse e “sapos”. Chame obra do destino, ou qualquer outra coisa, mas um dia fui informada de que era hora de sair da empresa e fiz dessa a oportunidade de voltar a me dedicar ao que realmente me dava prazer: o trabalho com massagem e terapias corporais.

Não é incomum encontrar atuando na área de terapias corporais profissionais “emigrantes” de diversas outras áreas (como advogados e profissionais de TI) que, cansados de um estilo de vida extremamente desgastante, procuraram nas terapias um meio de trabalho mais humano e prazeroso, e menos estressante e agressivo ao corpo e à mente.

O fato de virem de outras áreas, como Exatas, os torna menos aptos para exercerem a profissão? Não. Desde que tenham a formação e capacitação necessárias e adequadas, nada os impede de trabalharem como terapeutas/massagistas e de fazerem um ótimo trabalho. Verdade é que há de se ter uma inclinação para lidar com e tocar nas pessoas, mas os que se veem incapazes de gerenciar essa questão geralmente desistem dos cursos logo no começo.

Mas o ponto que gostaria mesmo de destacar aqui é que um massagista ou terapeuta corporal não é alguém que não sabia o que fazer da vida, incapaz de assumir uma profissão com maior status ou que tem pouca formação. Subestimar ou menosprezar as pessoas com base na imagem de que temos de determinada atividade é uma postura equivocada. O seu “mero massagista” pode até ter um mestrado em engenharia. Porque o que você vê como uma profissão simplória é para esse profissional uma atividade altamente compensadora (em vários aspectos).

Assim, na próxima vez que alguém lhe disser que trabalha com massagem ou terapias corporais, procure enxergar além desse título ou do que preconceitos e estereótipos possam lhe fazer pensar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s