Massagem x sacanagem

Há um tempo que, infelizmente, massagista se transformou em sinônimo de profissionais de outra categoria. Cada vez mais foi aumentando o número de anúncios em jornais e até mesmo em folhetos fixados em locais públicos de supostas massoterapeutas que oferecem muito mais do que uma massagem. Isso não seria um problema não fosse pelo fato de gerar uma grande confusão a respeito dos profissionais sérios da área de massagem.

Toda massagista mulher (principalmente as mulheres), mais cedo ou mais tarde, passará pela constrangedora situação de ver seu trabalho confundido com algo mais; de receber alguma solicitação de outro nível; de ter de responder a perguntas maliciosas ao telefone ou mesmo de sofrer algum tipo de assédio no atendimento. Normalmente, fala-se no famoso “happy end”, mas há também o tal “complemento” (“Você faz algum complemento na massagem?”). Alguns homens julgam, por vezes, que oferecendo um pagamento superior poderão obter esse complemento, sem entender que a questão não é dinheiro, mas profissionalismo. Cada um com sua profissão e o que lhe compete. A função do massagista é trabalhar no corpo do cliente de maneira a tratar alguma dor quase sempre de ordem muscular e/ou tensional. Entretenimento e prazer não são de sua alçada.

Por conta de possíveis constrangimentos e da probabilidade de um assédio, muitas massagistas mulheres se recusam a atender homens, principalmente se no local estarão somente ela e o cliente. Não digo que todos os homens sejam mal intencionados. Mas infelizmente os que buscam um tratamento sério são prejudicados por aqueles que veem na situação uma forma de obter algo mais.

Como diferenciar os profissionais e não passar por uma situação vergonhosa?

1) O meio de divulgação dos atendimentos. Massagistas sérios muito dificilmente colocariam anúncio em classificados de jornal, ainda mais com a associação que isso tem hoje com pessoas que realizam programas;

2) Dificilmente massagistas/terapeutas trabalham com apenas uma técnica. Portanto, um anúncio que, por exemplo, diz “reflexologia, thai yoga massage, acupuntura” e etc. provavelmente não é de um profissional de programas (que costumam oferecer somente massagem);

3) A apresentação do trabalho da pessoa. Confira a apresentação do blog, site ou página no Facebook. Nesses endereços os profissionais costumam inserir sua formação ou outras informações sobre o que fazem. Ninguém vinculado a uma empresa e/ou escola se propõe a fazer “complementos”;

4) Na dúvida, antes de fazer qualquer proposta ou solicitação que venha a constranger ambas as partes (e antes de marcar o atendimento, por favor), pergunte ao profissional como é seu trabalho. Qual o tipo de massagem oferecida e como é realizada. Pelos detalhes você poderá identificar se trata-se de um massagista sério ou não.

E se você, mesmo sem querer, acabar se excitando durante a sessão devido ao toque? Há a probabilidade de isso ocorrer. E com homens a situação é mais complicada, pois algumas vezes não têm como esconder. Desde que isso seja uma consequência natural do toque e não uma tentativa de assédio ou constranger quem está atendendo, o massagista irá encarar o ocorrido como algo normal e ignorar a situação para não causar mais constrangimento ao próprio cliente.

Lembre-se: o fato de ter uma pessoa tocando seu corpo não lhe dá o direito de constrangê-la ou desvirtuar sua profissão. A massagem é um tratamento que visa a saúde de quem a recebe, assim como ocorre em uma sessão de fisioterapia. A ocorrência maior de toques e contato é simplesmente a maneira de o tratamento ser aplicado. Como disse no começo, cada profissional com o que lhe cabe. E se o toque que você busca tem outra conotação, tenha respeito e bom senso e procure os profissionais dedicados a isso.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Massagem x sacanagem

  1. brunadasfadas disse:

    Olá, muito bom seu post. Fui parar nele justamente buscando no Google soluções para meus clientes diferenciarem meu trabalho.
    Estou querendo começar atendimentos domiciliares, coloquei anuncios bem explicadinhos na internet e até agora SÓ recebi ofertas de cunho erótico. Isso é muito triste, até agora não consegui nenhum paciente sério. Estou meio desesperada. A sorte é que atendo num Spa e pelo menos lá não confundem as coisas(levo cantadas, mas é raro). Mas queria muito um negócio meu, e a forma mais barata seria atender em casa, porém está difícil!

    • dikayser disse:

      Oi, Bruna. Mil desculpas pela resposta tão tardia, mas tivemos alguns problemas ao longo deste tempo que “empacaram” o desenvolvimento do blog. Entendo exatamente a questão que você levantou. Não importa o quão profissional sejam seus folhetos, seu site, suas explicações, sua apresentação etc. Infelizmente, desvinculada da “proteção” oferecida pelo nome de uma empresa (spa, clínica etc.), haverá sempre pessoas (entenda-se homens) que entrarão em contato com você para especular o nível de seriedade do seu trabalho. Muitos ficam, de fato, espantados ao saberem que nada tem a ver com serviço de acompanhante ou algo do gênero. Sei o quão desestimulante isso pode ser, mas talvez deva considerar se aliar a alguma escola/clínica para começar. Divulgue onde você mora, peça ajuda aos amigos. Em se tratando de público masculino, a menos que sejam conhecidos seus ou pessoas indicadas, procure NÃO atender em casa. Busque sempre um local seguro. Viver como massagista no Brasil ainda é muito complicado, pois além da profissão não ser levada a sério (e me refiro aos seus benefícios), ainda é muito associada a serviços sexuais. Cuide onde e como você divulga, procure participar de eventos, esteja presente em cursos e eventos, ofereça atendimentos cortesia a amigos para que conheçam seu trabalho e possam indicar, invista em uma divulgação sempre séria…. Mas acima de tudo, você precisará de muuuuita paciência. Em várias ocasiões, alguns terapeutas conseguem se manter inicialmente na carreira devido ao suporte financeiro adquirido por uma atividade paralela.

      Novamente reforço que sei bem como se sente, pois já recebi várias ligações do tipo. Geralmente eram todas no horário do almoço. Mas acredite: há pessoas que investem em tratamento com massagem e curtem muito. A dificuldade está em alcançar esse público e cativá-lo. Mas isso não é um trabalho que recai sobre você, mas sim sobre a classe inteira de profissionais de massagem.

      Espero sinceramente que a visão do que é massagem ainda mude no Brasil (e há pessoas sérias trabalhando para isso) e que você ainda consiga trabalhar da maneira como deseja.

      Boa sorte.

      • Diego Olivo disse:

        Eu, pessoalmente, tenho empresa aberta e mesmo assim ainda me perguntam se possuo em meu quadro de funcionários, massagistas mulheres! Isso infelizmente ainda é muito frequente, mesmo com empresa aberta. Ainda se mantém o tabu, pela sociedade, de cunho sexual, ou simplesmente passa despercebido o verdadeiro conceito da massoterapia, que é terapêutica, por pura desinformação!
        Muito bom seu artigo, e espero que possamos compartilhar muuuito mais o que é realmente a massoterapia para que diminua esse profundo desconhecimento da população.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s