9 Maneiras de compreender o que você “deveria” fazer

photo

Por Brianna Wiest (traduzido)

Você provavelmente já ouviu algo sobre a suposta maneira de “entender seu propósito” em menos de 1 minuto. Basicamente, para aqueles que não a conhecem, é um processo pelo qual você escreve sem parar o acha que deveria ser até começar a chorar. Ou algo assim. De forma alguma pretendo tirar os méritos desse método. Tenho certeza de que funcionou muito bem para muitas pessoas. Meu objetivo são as pessoas que possam não ter toda essa sintonia emocional – que sentem-se mais confortáveis percebendo seu “propósito” como algo mais prático.

Ao final do dia, sua ideia do que “deveria” fazer na vida é realmente importante, considerando que é uma lente pela qual perceberá todo o resto. A chave aqui é entender que o formato dessa lente depende totalmente de você. Não se trata de algo que os outros possam impôr a você, ou algo para o qual deva recorrer a outra pessoa para entender. A verdade é que até que isso seja algo que surja de um lugar genuíno, verdadeiro e profundo de entendimento, você não acreditará nisso e, portanto, não irá concretizá-lo. Assim, para ajudá-lo a começar, apresentamos nove maneiras para entender o que você “deveria” fazer (para quando sentar e apenas chorar não funcionar).

Faça uma lista de quais são suas habilidades naturais

Você pode ser tão abstrato quanto literal e prático. Ou você é bom em ajudar, tratar/curar, pintar, escrever ou estudar. Permita-se reconhecer plenamente todas as coisas nas quais é bom, mesmo se não parecer possível transformá-las em uma “carreira” de imediato.

  Faça uma lista de quais são seus interesses naturais

Você gosta de matemática? Artes? Seres humanos? Interações sociais? Psicologia? Autoajuda? O que você lê? Quais são os artigos em que você clica com mais frequência? Quem você segue no Twitter? Todas essas coisas resumem quem você é; você não é detalhes aleatórios, eles são simbólicos e importantes. E reunidos formam padrões que apontam para uma verdade maior.

Observe onde as duas se sobrepõem

Você precisa ter habilidade, interesse, dedicação e determinação. Se algum desses itens estiver ausente, você provavelmente não conseguirá concretizar a vida dos seus sonhos da maneira desejada. Existe “sorte” (pessoalmente não acredito nisso, mas algumas pessoas sim), existe acaso, existe possibilidade, mas quando não for possível confiar nisso para garantir seu futuro, confie naquilo que pode controlar: o que deseja fazer, quão bem pode fazer isso, e como irá criar um produto vendável/ profissão a partir disso.

Imagine-se com 95 anos de idade, próximo ao final de sua vida. Do que terá orgulho em deixar para trás?

O que deixaremos para trás, no fim das contas, é o que está em nosso coração. Se isso for verdade, o que você deixará ao final do dia? O que faz com que sinta orgulho de estar vivo? O que faz com que tenha orgulho de ser quem é?

Pelo que deseja ser lembrado depois de partir?

Você quer que as pessoas lembrem de você pelas horas que passou no escritório ou pelas horas que passou com a família e os amigos? Você quer ser lembrado pelo bom [profissão] que você era? Você quer ser lembrado pela sua bondade? Você quer ser lembrado por ambos? Considere tudo isso.

O que o faz se sentir em paz?

paz

Não o que deixa contente ou mesmo “feliz”. Essas emoções são passageiras e não são sensações sobre as quais possa realmente desenvolver uma vida sustentável. Mantenha o foco naquilo que verdadeiramente o faz se sentir em paz consigo mesmo. É nessa direção que deve seguir.

O que você pensava fazer quando era criança?

Não é tanto a profissão em si que você deseja imitar enquanto adulto, mas o que ela simboliza. Professores geralmente querem guiar/orientar, veterinários querem cuidar de seres que não têm voz, astronautas querem explorar e alcançar algo além da vida diária. Esses são apenas alguns exemplos, mas é muito importante observar que o que desejávamos como crianças é uma projeção de quem somos (mesmo se essas projeções “exatas” não forem o que queremos de verdade).

Pense sobre o que deseja fazer todos os dias – não sobre qual título deseja ter ou quais méritos deseja ter

Você deseja que sua vida consista em quê? Pense nisso em termos de horas. Se o seu foco for apenas a imagem que deseja disso, você está apenas considerando como deseja que as outras pessoas percebam sua vida – não como você realmente quer vivê-la.

Em um mundo ideal, como é a imagem da melhor versão de si mesmo?

A questão e a verdade é que a pessoa que existe na sua mente é quem você é de verdade. O trabalho a fazer é tirar todo o resto do caminho que o faz pensar que é menos. Sua melhor versão é a pessoa que você deveria ser. E o que quer que essa pessoa seja ou faça, é o que deveria fazer.

(fonte: https://www.bustle.com/articles/107298-9-ways-to-figure-out-what-youre-meant-to-do

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s