A regra dos 100 por cento – o conselho simples que mudou minha vida

Tenho uma amiga que parou de comer açúcar há dois anos. Quando saímos para comer, quase sempre como sobremesa. “Quer um pedaço?”, pergunto testando-a. “Não, obrigada”, responde ela, sempre com a mesma indiferença. Deve ser tão difícil para ela recusar uma carolina todas as vezes – certo?

Errado.donut

 

Dito de forma simples, é muito fácil desperdiçar nosso tempo, dinheiro e energia não nos comprometendo totalmente com algo que é importante para nós. Desejamos começar um blog (desta vez de verdade), mas sempre nos distraímos. Gastamos dinheiro demais em roupas, sendo que desejamos parar de fazer compras on-line.

Mas é o nosso bem intencionado “esforço de 99 por cento” que é cansativo. Ele consome energia sem produzir resultados. É estressante. Faz com que nos sintamos um fracasso, quando não somos – apenas não nos comprometemos totalmente com alguma coisa. Dedicar 99 por cento de esforço a coisas importantes na vida significa que estamos constantemente deixando de explorar nosso potencial o suficiente – e nos sentindo mal com isso.

A regra dos 100 por cento

Em uma conferência no começo deste ano, ouvi uma declaração que sabia que mudaria meu negócio. Mais tarde, percebi que também mudaria minha vida inteira.

A declaração? Noventa e nove por cento é difícil – 100 por cento é fácil. Ou como Jack Canfield, o autor best-selling de The Success Principles (Os princípios do sucesso), afirma (em termos pouco mais agressivos): “99 por cento não serve. 100 por cento é suave”. Permita-se refletir sobre isso por alguns instantes.

Depois, considere as seguintes pessoas: minha irmã, que é uma vegana rigorosa; meu vizinho, um autor com seis best-sellers pelo New York Times; e um comediante que divulga um vídeo novo pelo YouTube todas as semanas. Sem exceção, sem intervalos ou desculpas.

É difícil? Talvez quando começaram. Mas hoje minha irmã sabe exatamente quais alimentos comprar, onde e como. O escritor escreve todos os dias, não apenas quando está inspirado. O YouTuber está constantemente aprendendo coisas novas, pesquisando e desenvolvendo novos vídeos, um melhor do que o outro. Se algo está segurando você, e há um bom tempo, significa que está há tempo demais nos 99 por cento. Eis aqui como dedicar-se totalmente.

1. Identifique exatamente o que requer 100 por cento de sua atenção

Escrever? Fotografia? Uma ideia em sua cabeça que existe há um tempo, mas requer ação? Um hábito que precisa cortar? – compras na Internet, beber refrigerante ou até mesmo continuar encontrando uma pessoa tóxica?

Nem tudo em sua vida requer um esforço de 100 por cento. Mas seu coração sabe o que requer. Você não precisa enlouquecer e se comprometer com um milhão de projetos e eliminar tudo que for divertido de sua vida. Neste momento, seu 100 por cento é provavelmente apenas uma coisa. O que é?

2. Dedique esforço

Comprometa-se em escrever uma hora por dia, sete dias por semana. Identifique como fazer a primeira venda de sua atividade complementar (você consegue!). Cancele contas de compras na Internet, largue os refrigerantes ou termine aquele relacionamento de uma vez por todas. E não olhe para trás.

Em meu caso, percebi que meu 100 por cento era terminar meu livro. Eu vinha me dedicando a ele apenas 99 por cento há dois anos e, depois de ouvir esse conselho, finalmente o terminei. Não foi fácil, mas foi mais fácil do que pensar sobre ele no metrô, de férias, cozinhando ou ao sair com os amigos. Agora está pronto.

Quando mudei a marcha para 100 por cento, não havia decisões a tomar. Era escrever ou morrer!

Noventa e nove por cento era tão mais difícil. Isso exercia uma pressão diária sobre mim. Era mais difícil do que a tarefa em si. A fadiga da decisão estava me matando: “devo escrever ou ir ao mercado?”. Quando mudei a marcha para 100 por cento, não havia decisões a tomar. Era escrever ou morrer.

3. Repita (o tempo todo)

A verdadeira felicidade é o que sentimos quando seguimos nosso potencial. A parte bela é que quando aplicamos a regra dos 100 por cento a uma tarefa imediata, nós a concluímos. Um projeto é encerrado – uma intenção que já foi boa se torna um hábito. Um objetivo é alcançado.

Isso libera espaço mental adequado para que a próxima prioridade se torne clara, já que não estamos mais neuróticos com a culpa em relação a vários outros projetos pela metade. E quando dedicamos nosso 100 por cento, outras coisas não tão importantes se dissipam no meio tempo: isso é algo muito legal para uma regra que já é incrível.

Por que algumas pessoas têm mais sucesso do que outras? Porque elas se comprometem totalmente a alguma coisa. Se você conhece alguém que construiu seu próprio caminho, sabe que elas não se comprometem pela metade em sua estratégia de investimento. Se alguém escreve um best-seller após o outro, sabe que não estão sentando para escrever de vez em quando. Se você conhece alguém que conseguiu fãs no YouTube, sabe que está continuamente se esforçando para divulgar conteúdo novo e único.

Isso se chama comprometimento.

Susie Moore

(Fonte: http://www.smh.com.au/lifestyle/health-and-wellbeing/the-100-per-cent-rule-the-simple-advice-that-changed-my-life-20160825-gr16da.html)

 

Se amar a si mesmo é difícil, comece gostando de si mesmo

Girl European appearance decade hugging herself on a blue background

Amor próprio é uma expressão utilizada com frequência. Usada em excesso, aliás.
As pressões e associações em torno da expressão “amor próprio” são enormes. Na escola, nós destruíamos meninas que se amavam, como se isso fosse uma coisa ruim. Como adolescentes, víamos amor próprio como arrogante.
Se soubéssemos o dano que estávamos fazendo, não apenas aos outros, mas, acima de tudo, a nós mesmos.
Assim sendo, que tal começar gostando de nós mesmos?
Eu decididamente sentia que deveria tentar fazer com que as pessoas gostassem de mim enquanto crescia. Eu queria fazer parte de um grupo, eu decididamente não queria abraçar minha individualidade; tudo que eu queria era ser aceita.
Mas agora entendo que essas tentativas desesperadas para fazer com que os outros gostassem de mim, e até me amassem, eram na verdade um reflexo do que eu mesma precisava aprender.
Avançando uma década, essa luta constante pareceu ter chegado ao ápice. Minha incapacidade de me amar causou problemas enormes em meus relacionamentos; comigo mesma e com as pessoas com quem me importava.
Eu nem consigo pensar em começar a amar a mim mesma, pois, muito honestamente, me esforço muito para simplesmente gostar de mim. A pressão de um amor próprio consistente é um peso muito grande para lidar neste momento.
Como posso conseguir me amar incondicionalmente? Amar minhas partes flácidas, amar meus pensamentos obscuros, amar o fato de que suo profusamente durante qualquer tipo de exercício, amar quando como uma barra de chocolate (só para ter um pouquinho de prazer), amar o fato de que às vezes sou um verdadeiro gato assustado?
Como posso fazer isso, quando muitas vezes não consigo nem gostar dessas partes?
Por isso o processo de gostar de mim mesma deve começar.
Deixe o amor próprio de lado
Se você se encontra em um lugar de autodesprezo e autoaversão, tire o amor próprio da mesa por enquanto. Não se pressione para sentir amor incondicional, porque o fato de não poder forçá-lo sobre si mesmo apenas irá frustrá-lo e magoar.
Se você colocar muita ênfase no amor agora, simplesmente acabará suprimindo a resistência enorme que surge e enterrando-a profundamente, apenas para que mostre sua face assustadora mais tarde. Gostar de si mesmo parece mais viável neste instante.
Adote medidas para cuidar de si mesmo
Por um bom tempo, achei que estava fazendo coisas que ajudavam a  cuidar de mim mesma,  que estava mostrando a mim mesma o que era amor. Esse era um passo importante, mas me enganei ao pensar que cuidar de mim era o mesmo que me amar.
Cuidar de si mesmo é vital porque o ajuda a começar a acreditar em seu valor. Mas é muito mais fácil do que gostar de si mesmo ou amar a si mesmo, o que o torna um bom ponto de partida.
Comece implementando medidas de cuidado próprio, como comer bem, tirar tempo para se exercitar, agendar uma massagem, tratar de sua aparência etc. Ao fazer isso, estará dando a si mesmo sinais incríveis de que tem valor.
Comece a implementar a autoaceitação
Aceitar onde estamos neste momento é absolutamente essencial em nossa busca por gostar de si mesmo. E isso não significa ter o trabalho ideal, corpo dos sonhos, companheiro perfeito ou prêmio da loteria. Isso tem que acontecer agora.
Se você não aceitar a si mesmo agora, você ainda não se aceitará quando tiver o emprego ideal, o corpo dos sonhos, companheiro perfeito ou o prêmio da loteria.
Hoje, estou com mais peso do que jamais tive. Olho para algumas fotos antigas e fico ansiando pela forma que costumava ter. Mas mesmo nessa época eu não me amava. Assim, percebo que a solução não é um tamanho de vestido, mas me aceitar e gostar de mim independentemente de minha aparência.
Aceitar que onde você está agora é algo incrivelmente poderoso e uma parte integral do aprendizado para gostar de si mesmo. Você não precisa amar onde está; você precisa apenas aceitar isso como um ponto de partida.
Isso não significa que deve parar de lutar por mais. Mas se conseguir gostar de onde está agora, a tendência é amar a forma como sua vida evolui.
Abraçando sua escuridão
 Gostar de si mesmo de maneira incondicional envolve abraçar sua escuridão e sua luz. Isso significa seus medos, suas preocupações, suas dúvidas, seu corpo, sim, até mesmo as coisas que causam repulsa e o desapontam sobre si mesmo. Isso pode não ser bonito, mas é parte de você.
Não é possível simplesmente fazer esses sentimentos desaparecerem e cobri-los de afirmações positivas. Não podemos nos esconder e utilizar táticas de esquiva na esperança de que sumam. Mas podemos aceitá-los e começar a ajustar gentilmente o padrão de pensamentos que surge.
Crie um sentido
Quando sentimos que temos um propósito, é muito mais fácil gostar de si mesmo. Quando vivemos nossas vidas de uma forma que nos satisfaz e expande nossa criatividade e atende nossos desejos, podemos começar a gostar de nossa vida por dentro e por fora.
Pense sobre as coisas que gosta de fazer. O que o deixa feliz e o faz sentir satisfeito? Você não precisa saber qual é o propósito de sua vida agora. Ao simplesmente se dar a oportunidade de implementar mais dessas coisas em sua rotina diária sentirá que começa a gostar dessa vida.
Gostar de si mesmo pode começar com a menor das etapas – simplesmente admitindo para si mesmo que fez um bom trabalho ou que há uma parte de seu corpo de que você gosta. Não se trata de uma transformação da noite para o dia, mas acredito que seja o primeiro passo para que aprenda a se amar.
Você consegue ter coragem e pensar em uma coisa de que goste em si mesmo agora?
(Fonte: http://www.tinybuddha.com. Autora: Lauren Barber. Tradução: Diana Kayser)