O zen da raiva: 5 dicas para superar reações negativas

buda2

por: Linda Esposito

1. Preste atenção a sua rotina matinal

A maneira como iniciamos nosso dia afeta o desenrolar do restante de nossas atividades. Programe seu alarme para despertar 15 minutos mais cedo.

Antes de sair da cama, faça algumas respirações e diga algo positivo. Por exemplo: “outro dia. Outra chance de um novo começo”. Ao se ver na correria durante o dia, lembre-se de que “há tempo o suficiente”.

2. Entre em contato com sua raiva

Faça o seguinte exercício quando você tiver pelo menos 30 minutos sem interrupção.

Encontre uma posição sentada confortável. Feche os olhos e pense em como sua raiva parece. Quais cores ou imagens você vê? Onde você armazena a raiva em seu corpo? Preste atenção à temperatura do corpo, punhos cerrados, batimento cardíaco, tensão muscular e incômodo na barriga.

Lembre-se de fazer respirações profundas durante o exercício inteiro e faça uma pausa se as sensações se tornarem intensas demais.

Quando estiver pronto, abra os olhos e respire fundo. Inspire pelo nariz e expire pela boca. Pegue um bloco de notas e registre todos seus pensamentos raivosos.

Não pense demais sobre isso – deixe os pensamentos fluírem sem editar suas respostas. Dedique pelo menos 5 minutos a essa atividade, registrando o quê, onde, quando e ao redor de quem você sente mais raiva.

Leia a lista e defina quais são seus maiores gatilhos e/ou situações para raiva. Circule os 3 principais.

Em outra folha de papel, escreva 3 estratégias para lidar com cada um deles.

Por exemplo: odeio meu emprego.

Estratégias:

  • Atualizar meu currículo sexta-feira ao meio-dia.
  • Entrar em contato com pessoas e fazer networking sobre possíveis vagas na quinta-feira às 17h.
  • Ligar para meu mentor hoje e convidá-lo para um almoço para trocar algumas ideias de trabalho.

Repita esse exercício com frequência e não se preocupe se alguns dos mesmos problemas surgirem. A solução de problemas requer prática e paciência.

3. Desconecte-se

A tecnologia nos estimula a reagir rapidamente. No momento em que recebemos aquela mensagem ou vibração do telefone, corremos para responder. Reagir impulsivamente é um gatilho para explosões de raiva. Reserve um tempo durante o dia para não verificar e-mails, sites de mídia social e mensagens de texto.

4. Treine sua mente para responder mais lentamente

Pense, fale, dirija, escreva, ouça, cozinhe, coma e caminhe mais devagar. Quando você desacelera, sente-se mais em controle de suas opções e de sua vida interior.

Deixe lembretes no computador, no painel de seu carro e na sua porta de entrada. Nossos cérebros não são treinados para lembrar muitas coisas, por isso escreva.

5. Durma

Honestamente, se tivesse de escolher apenas uma opção para administrar a raiva é dormir o suficiente. Privação de sono é um dos maiores culpados pelo mau humor, inclusive ansiedade e depressão.

Comprometa-se em dormir mais cedo durante a semana. É quase impossível fazer escolhas calmas, comedidas e responsáveis se você mal consegue manter os olhos abertos.

 

(fonte: https://tinybuddha.com/blog/the-zen-of-anger-5-tips-to-overcome-negative-reactions/)

Anúncios

Técnicas para encontrar a carreira de seus sonhos (parte II)

carreira

(Por: Zoe B.)

1. Identifique de quais tarefas envolvidas em seu trabalho atual você realmente gosta e considere a quais setores essas tarefas também podem ser aplicáveis. Faça uma lista e comece um brainstorming!

2. Aquiete-se. Faça uma meditação de 1o minutos para perceber o que surge ao considerar qual pode ser sua paixão. Entre em sintonia com sua paixão – talvez lá no fundo você já saiba o que quer.

3. Invista seriamente em sua mudança de carreira. Elabore um plano de economia para servir de suporte a sua fase transição e para cobrir quaisquer treinamentos ou cursos de que precise.

4. Entre em contato com alguém que já esteja no setor de seus sonhos e pergunte sobre seu trabalho. Convide-os para tomar um café e descubra o máximo possível sobre suas atividades diárias.

5. Crie uma planilha e liste todas suas ideias. Inclua as empresas pelas quais tem interesse, empresas que o atraem e e as pessoas chave e relevantes que podem ajudá-lo.

6. Faça um brainstorming de suas paixões. Passe 30 minutos identificando quais são suas paixões e o que você ADORA fazer. Quando tiver sua lista de paixões, pense em quais tipos de carreira ou setores podem estar alinhados com elas.

7. Aproveite treinamentos profissionais grátis. 

8. Encontre outras pessoas que mudaram de carreira e pergunte como fizeram.

9. Encontre alguém que seja especialista em seu campo ou setor dos sonhos. Procure entrevistas deles no YouTube falando sobre suas carreiras e como começaram.

10. Visualize o objetivo final. Saiba que É possível encontrar a carreira de seus sonhos. Várias outras pessoas conseguiram. Não há motivos para você não conseguir também!

(fonte: https://simplelifestrategies.com/20-free-techniques-to-find-your-dream-career/)

 

Técnicas para encontrar a carreira de seus sonhos (parte I)

work

Por: Zöe B. (traduzido)

1. Escolha uma empresa para a qual sempre quis trabalhar e passe 30 minutos pesquisando sobre ela online.

2. Inscreva-se para um curso online no campo de seus sonhos e observe se você gosta.

3. Procure reuniões/encontros relevantes para seu setor e vá a pelo menos um.

4. Seus valores pessoais determinarão sua escolha da carreira perfeita. 

5. Inscreva-se para receber newsletters do setor que está considerando como escolha de carreira. 

6. Junte-se a um grupo no Linked In relacionado a um dos interesses de sua carreira escolhida.

7. Passe 30 minutos fazendo um brainstorming de quais são suas habilidades. Em que você é naturalmente bom e que poderia utilizar em um diferente setor pelo qual é apaixonado?

8. Estabeleça um prazo para sua mudança de carreira. Quando temos um prazo, isso gera a motivação de que precisamos para agir. Comprometa-se em fazer uma mudança até uma certa data e será inspirado a começar a trabalhar!

9. Crie um painel inspirador com visões do que deseja. Recorte imagens de revistas [ou selecione imagens no Pinterest] que reflitam exatamente o que está buscando para sua carreira ou seu negócio dos sonhos. Mantenha esse painel em algum lugar onde possa vê-lo diariamente.

10. Coloque o seu chapéu de networking. Faça um esforço para ir a eventos e reuniões sociais que você não costuma frequentar e pergunte às pessoas o que elas fazem. Obtenha perspectivas sobre quais opções de carreira existem e das quais talvez não esteja ciente.

 

(fonte: https://simplelifestrategies.com/20-free-techniques-to-find-your-dream-career/)

 

9 Maneiras de compreender o que você “deveria” fazer

photo

Por Brianna Wiest (traduzido)

Você provavelmente já ouviu algo sobre a suposta maneira de “entender seu propósito” em menos de 1 minuto. Basicamente, para aqueles que não a conhecem, é um processo pelo qual você escreve sem parar o acha que deveria ser até começar a chorar. Ou algo assim. De forma alguma pretendo tirar os méritos desse método. Tenho certeza de que funcionou muito bem para muitas pessoas. Meu objetivo são as pessoas que possam não ter toda essa sintonia emocional – que sentem-se mais confortáveis percebendo seu “propósito” como algo mais prático.

Ao final do dia, sua ideia do que “deveria” fazer na vida é realmente importante, considerando que é uma lente pela qual perceberá todo o resto. A chave aqui é entender que o formato dessa lente depende totalmente de você. Não se trata de algo que os outros possam impôr a você, ou algo para o qual deva recorrer a outra pessoa para entender. A verdade é que até que isso seja algo que surja de um lugar genuíno, verdadeiro e profundo de entendimento, você não acreditará nisso e, portanto, não irá concretizá-lo. Assim, para ajudá-lo a começar, apresentamos nove maneiras para entender o que você “deveria” fazer (para quando sentar e apenas chorar não funcionar).

Faça uma lista de quais são suas habilidades naturais

Você pode ser tão abstrato quanto literal e prático. Ou você é bom em ajudar, tratar/curar, pintar, escrever ou estudar. Permita-se reconhecer plenamente todas as coisas nas quais é bom, mesmo se não parecer possível transformá-las em uma “carreira” de imediato.

  Faça uma lista de quais são seus interesses naturais

Você gosta de matemática? Artes? Seres humanos? Interações sociais? Psicologia? Autoajuda? O que você lê? Quais são os artigos em que você clica com mais frequência? Quem você segue no Twitter? Todas essas coisas resumem quem você é; você não é detalhes aleatórios, eles são simbólicos e importantes. E reunidos formam padrões que apontam para uma verdade maior.

Observe onde as duas se sobrepõem

Você precisa ter habilidade, interesse, dedicação e determinação. Se algum desses itens estiver ausente, você provavelmente não conseguirá concretizar a vida dos seus sonhos da maneira desejada. Existe “sorte” (pessoalmente não acredito nisso, mas algumas pessoas sim), existe acaso, existe possibilidade, mas quando não for possível confiar nisso para garantir seu futuro, confie naquilo que pode controlar: o que deseja fazer, quão bem pode fazer isso, e como irá criar um produto vendável/ profissão a partir disso.

Imagine-se com 95 anos de idade, próximo ao final de sua vida. Do que terá orgulho em deixar para trás?

O que deixaremos para trás, no fim das contas, é o que está em nosso coração. Se isso for verdade, o que você deixará ao final do dia? O que faz com que sinta orgulho de estar vivo? O que faz com que tenha orgulho de ser quem é?

Pelo que deseja ser lembrado depois de partir?

Você quer que as pessoas lembrem de você pelas horas que passou no escritório ou pelas horas que passou com a família e os amigos? Você quer ser lembrado pelo bom [profissão] que você era? Você quer ser lembrado pela sua bondade? Você quer ser lembrado por ambos? Considere tudo isso.

O que o faz se sentir em paz?

paz

Não o que deixa contente ou mesmo “feliz”. Essas emoções são passageiras e não são sensações sobre as quais possa realmente desenvolver uma vida sustentável. Mantenha o foco naquilo que verdadeiramente o faz se sentir em paz consigo mesmo. É nessa direção que deve seguir.

O que você pensava fazer quando era criança?

Não é tanto a profissão em si que você deseja imitar enquanto adulto, mas o que ela simboliza. Professores geralmente querem guiar/orientar, veterinários querem cuidar de seres que não têm voz, astronautas querem explorar e alcançar algo além da vida diária. Esses são apenas alguns exemplos, mas é muito importante observar que o que desejávamos como crianças é uma projeção de quem somos (mesmo se essas projeções “exatas” não forem o que queremos de verdade).

Pense sobre o que deseja fazer todos os dias – não sobre qual título deseja ter ou quais méritos deseja ter

Você deseja que sua vida consista em quê? Pense nisso em termos de horas. Se o seu foco for apenas a imagem que deseja disso, você está apenas considerando como deseja que as outras pessoas percebam sua vida – não como você realmente quer vivê-la.

Em um mundo ideal, como é a imagem da melhor versão de si mesmo?

A questão e a verdade é que a pessoa que existe na sua mente é quem você é de verdade. O trabalho a fazer é tirar todo o resto do caminho que o faz pensar que é menos. Sua melhor versão é a pessoa que você deveria ser. E o que quer que essa pessoa seja ou faça, é o que deveria fazer.

(fonte: https://www.bustle.com/articles/107298-9-ways-to-figure-out-what-youre-meant-to-do